ALERGIA A PROTEÍNAS DE LEITE DE VACA EM IDADE PEDIÁTRICA – ABORDAGEM DIAGNÓSTICA E TERAPÊUTICA

Marlene Salvador, Marília Rodrigues, Ana Cordeiro, Maria João Paiva Lopes

Resumo


A alergia a proteínas do leite de vaca é uma patologia cada vez mais prevalente e de duração mais prolongada. Constitui a alergia alimentar mais comum na primeira infância, atingindo 2 a 3% dos lactentes e crianças. Pode apresentar-se logo após o nascimento, inclusive em lactentes alimentados exclusivamente com leite materno. A apresentação clínica é heterogénea e inespecífica e depende do tipo de resposta imunológica ser IgE ou não IgE mediada. Pode atingir vários órgãos e sistemas, mais frequentemente a pele e o sistema gastrintestinal. Dentre as manifestações cutâneas, a urticária e o angioedema são as mais comuns, seguidas da dermite atópica, prurido, eritema generalizado e exantema máculo-papular. O elevado número de crianças alvo de suspeita clínica e a realização de um diagnóstico incorrecto da alergia a proteínas do leite de vaca, leva, muitas vezes, a dietas de evicção desnecessárias e até prejudiciais ao seu crescimento e desenvolvimento. Neste artigo é revista a marcha diagnóstica na suspeita de alergia a proteínas do leite de vaca e a abordagem terapêutica de acordo com a gravidade das manifestações e a idade das crianças.


Palavras-chave


Criança; Imunoglobulina E; Intolerância à lactose; Hipersensibilidade a leite; Proteínas do leite

Texto Completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.29021/spdv.72.1.223

Apontadores

  • Não há apontadores.