Alopécia Permanente Pós-Quimioterapia com Resposta Favorável ao Minoxidil Tópico

Eugénia Matos Pires, Rita Ramos Pinheiro, André Lencastre

Resumo


A alopécia permanente pós-quimioterapia é um efeito adverso raro, classicamente associada a altas doses de quimioterapia sistémica com busulfan para transplante de medula óssea. Recentemente têm sido descritos casos de alopécia permanente pós-quimioterapia em doentes submetidos a quimioterapia sistémica com taxanos no carcinoma da mama. Na revisão da literatura não existem orientações terapêuticas consistentes para esta entidade com impacto importante na qualidade de vida dos doentes. Descreve-se o caso de uma doente de 38 anos que desenvolveu alopecia inaugural e permanente após quimioterapia com taxanos (docetaxel) para carcinoma da mama, com 2 anos de evolução à data da observação. Após 6 meses de tratamento tópico com solução de minoxidil 5%, em regime bidiário, assistiu-se a resposta clínica favorável. Os autores revêm o provável mecanismo patológico da alopécia permanente pós-quimioterapia, bem como os efeitos do minoxidil tópico no ciclo do cabelo, por forma a sustentar este fármaco como opção terapêutica a considerar neste tipo de alopecia.


Palavras-chave


Alopecia/induzida quimicamente; Alopecia/tratamento Minoxidil; Taxanos

Texto Completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.29021/spdv.75.3.821

Apontadores

  • Não há apontadores.